Osteopatia

A Osteopatia é um sistema estabelecido e reconhecido de diagnóstico e tratamento que tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

A Osteopatia enfatiza a sua ação centrada no doente, ao invés do sistema convencional centrado na doença. A profissão de Osteopata é uma profissão de saúde distinta, com uma formação académica superior e treino clínico específicos.

O tratamento é baseado num exame clínico. Através de técnicas manuais o osteopata tem como tem como objetivo restabelecer a mobilidade perdida e dar equilíbrio ao sistema músculo-esquelético, sacro-cranial e visceral, mantendo a elasticidade do tecido conjuntivo em todos os seus sistemas.

Os campos de ação da osteopatia são:

O sistema locomotor ou estrutural

Esta é a parte que se ocupa do aparelho músculo-esquelético e da postura. O osteopata realiza um diagnóstico osteopático que consiste em estabelecer que estruturas estão bloqueadas ou em disfunção, sempre desde o ponto de vista do movimento, uma vez que o tratamento consistirá em eliminar estas lesões mediante técnicas de estiramentos, mobilizações e manipulações.

As dores de coluna representam o motivo mas frequente de consulta em osteopatia: cervicalgias, torcicolos, neuralgias com dor pelo braço, dorsalgias, lombalgias, e ciáticas são patologias onde a osteopatia é muito eficaz.

A osteopatia apresenta muito bons resultados no tratamento de hérnias discais e consegue evitar eventuais cirurgias, numa elevada percentagem, ao diminuir os sintomas produzidos pela hérnia e melhorar a função do segmento.

Está indicada também nos problemas dos membros como dores musculares, dores crónicas do tipo artrósico, tendinites e lesões desportivas.

O sistema Cranio-sacro

É uma técnica subtil e manual para ajudar a detetar e corrigir os desequilíbrios do Sistema Sacro-cranial que podem ser a causa de disfunções intelectuais, motoras ou sensoriais.

A Osteopatia sacro-cranial utiliza-se para tratar uma grande variedade de problemas de saúde, incluindo dores de cabeça, pescoço e costas, disfunções da articulação tempero-mandibular (maxilar), cansaço crónico, dificuldades de coordenação motora, problemas oculares, depressão endógena, fibromialgia, hiperactividade, problemas de concentração, disfunções do sistema nervoso e muitos outros transtornos. Devido à suavidade das suas manipulações e às suas características de estimulação dos recursos de saúde próprios do organismo, é uma técnica muito adequada para o tratamento de crianças desde o nascimento.

O sistema Visceral

É o ramo da Osteopatia que se ocupa do tratamento de órgãos e vísceras, melhorando a sua função.

A abordagem que pode ser feita sobre o sistema digestivo é principalmente libertar aderências de podem dificultar a irrigação sanguínea dos mesmos, sequelas de cirurgias, sequelas de infeções e ptoses. Sobre a caixa torácica trabalha-se, principalmente, a mecânica respiratória, e as relações que esta tem com a coluna dorsal e cervical.

O sistema visceral depende da sincronização entre os movimentos de todos os órgãos e as demais estruturas corporais. Quando a saúde está no seu nível ótimo, esta relação harmoniosa mantém-se estável dentro da grande variedade de movimentos do corpo.

Quando um órgão não pode estar em harmonia com outra víscera devido a uma tonicidade anormal, aderências ou deslocamentos, trabalhará contra os outros órgãos e também contra as estruturas musculares, membranosas, fasciais e ósseas.

Certos desequilíbrios funcionais do sistema visceral encontram na osteopatia a sua solução ou alivio: é o caso de transtornos como a gastrite, hérnia de hiato, dores intestinais, obstipação, alterações digestivas em relação com a vesicula biliar e transtornos ginecológicos.